terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Feliz ano Novo


A Paróquia de São Bento vem por meio deste agradecer a todos que deram as mãos neste de  2013 e ao mesmo tempo queremos reder graças pelas vitórias alcançadas, muitas foram as batalha, alegrias, tristezas e muita confiança em Deus, mas quem tem Deus no coração tudo pode. Feliz 20114 para todas as famílias. Estes são os sinceros fotos de um ano vindouro. 

Evangelho do dia

Prólogo de São João - Jo 1,1-18

No princípio era a Palavra, e a Palavra estava junto de Deus, e a Palavra era Deus. Ela existia, no princípio, junto de Deus. Tudo foi feito por meio dela, e sem ela nada foi feito de tudo o que existe. Nela estava a vida, e a vida era a luz dos homens. E a luz brilha nas trevas, e as trevas não conseguiram dominá-la. Veio um homem, enviado por Deus; seu nome era João. Ele veio como testemunha, a fim de dar testemunho da luz, para que todos pudessem crer, por meio dele. Não era ele a luz, mas veio para dar testemunho da luz. Esta era a luz verdadeira, que vindo ao mundo a todos ilumina. Ela estava no mundo, e o mundo foi feito por meio dela, mas o mundo não a reconheceu. Ela veio para o que era seu, mas os seus não a acolheram. A quantos, porém, a acolheram, deu-lhes poder de se tornarem filhos de Deus: são os que creem no seu nome. Estes foram gerados não do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. E a Palavra se fez carne e veio morar entre nós. Nós vimos a sua glória, glória que recebe do seu Pai como filho único, cheio de graça e de verdade. João dá testemunho dele e proclama: “Foi dele que eu disse: ‘Aquele que vem depois de mim passou à minha frente, porque antes de mim ele já existia’”. De sua plenitude todos nós recebemos, graça por graça. Pois a Lei foi dada por meio de Moisés, a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo. Ninguém jamais viu a Deus; o Filho único, que é Deus e está na intimidade do Pai, foi quem o deu a conhecer.

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Confraternização da pastoral do Dizímo Gameleiras


A pastoral do Dízimo de Gameleiras realizou a Confraternização de seus agentes. Agradecemos a todos que nos ajudaram neste ano de 2013 e pedimos que renovem sua participação no ano de 2014. Obrigado.

Evangelho do dia

Jesus é apresentado no Templo - Lc 2,36-40

Havia também uma profetisa, chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Ela era de idade avançada. Quando jovem, tinha sido casada e vivera sete anos com o marido. Depois ficara viúva e agora já estava com oitenta e quatro anos. Não saía do templo; dia e noite servia a Deus com jejuns e orações. Naquela hora, Ana chegou e se pôs a louvar Deus e a falar do menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém. Depois de cumprirem tudo conforme a Lei do Senhor, eles voltaram para Nazaré, sua cidade, na Galileia. O menino foi crescendo, ficando forte e cheio de sabedoria. A graça de Deus estava com ele.

domingo, 29 de dezembro de 2013

Terço dos Homens comemora 4 anos



Terço dos Homens de Serra de São Bento comemora quatro anos de Evangelização entre os homens de nossa cidade. Para as comemorações houve missa as 19 horas na Matriz e depois foi servido um lanche para todas as pessoas presentes. Parabéns a todos os homens deste importantíssimo grupo.


Evangelho do dia

Herodes procura o menino para matá-lo - Mt 2,13-15.19-23

Depois que os magos se retiraram, o anjo do Senhor apareceu em sonho a José e lhe disse: “Levanta-te, toma o menino e sua mãe e foge para o Egito! Fica lá até que eu te avise, porque Herodes vai procurar o menino para matá-lo”. José levantou-se, de noite, com o menino e a mãe, e retirou-se para o Egito; e lá ficou até a morte de Herodes. Assim se cumpriu o que o Senhor tinha dito pelo profeta: “Do Egito chamei o meu filho”. Quando Herodes morreu, o anjo do Senhor apareceu em sonho a José, no Egito, e lhe disse: “Levanta-te, toma o menino e sua mãe, e volta para a terra de Israel; pois já morreram aqueles que queriam matar o menino”. Ele levantou-se, com o menino e a mãe, e entrou na terra de Israel. Mas quando soube que Arquelau reinava na Judeia, no lugar de seu pai Herodes, teve medo de ir para lá. Depois de receber em sonho um aviso, retirou-se para a região da Galileia e foi morar numa cidade chamada Nazaré. Isso aconteceu para se cumprir o que foi dito pelos profetas: “Ele será chamado nazareno”.

A família vista à Luz de Jesus



Em nossa sociedade, a família é um emaranhado de problemas: falta de habitação e orçamentos, dificuldades internas. A própria estrutura familiar tornou-se problemática. Muitos não vêem sentido na estrutura familiar. As famílias se desfazem com facilidade. Em breve a família poderá deixar de ser um problema, porque já não existirá. A festa de hoje nos convida a refletir sobre a família à luz do Natal, tomando como ponto de referência a família na qual nasceu Jesus. As duas primeiras leituras oferecem conselhos para a vida familiar.
O sábio judeu (1ª leitura) troca em miúdos o mandamento de “honrar pai e mãe”. Paulo, na 2ª leitura, descreve a paz e a união que o amor que é o do Cristo, em todas as direções (esposa-marido e vice-versa, filhos-pai e vice-versa).
Mais ainda que esses textos, o evangelho nos leva a valorizar a família, ao narrar a migração da família de Nazaré. Era uma família migrante, em conseqüência das ambições dos poderosos: o recenseamento ordenado pelo imperador romano e a perseguição deflagrada por Herodes, o Grande, que tinha medo de uma criancinha, porque poderia colocá-lo na sombra… Mas José cuida de oferecer sempre um lar a Jesus. Foge ao Egito, para depois voltar a Nazaré. Até nisto, Jesus “cumpre as Escrituras”, pois Os 11,1 diz que Deus chama; “seu filho”(o povo de Israel) do Egito.
Jesus se identifica com o antigo povo migrante, que volta da terra do Egito, para a terra que Deus lhe quer dar. Jesus se identifica também com as famílias migrantes de hoje, oprimidas, expulsas, acampadas, faveladas, quase sem condições de vida familiar, em conseqüência da cobiça dos que querem tudo para si. Também para estas famílias vale a boa-nova: a solidariedade de Cristo e a santificação da família como missão da Igreja.
Daí as exigências que se fazem à sociedade: empenho por uma dignidade e estabilidade mínima no lar. A Sagrada Família, migrando de um lugar para outro, reclama “uma Nazaré para todos”. Também gente pobre é “gente de família”. Exigências também da parte do indivíduo: amor, carinho, respeito enquanto membro da família. Desenha-se assim a missão da família: ser uma célula de vida e amor, mas também assumir sua responsabilidade na luta para que isso seja materialmente possível.
À sociedade como tal e a todos os seus membros cabe respeitar e proteger a estabilidade e dignidade da família, ajudá-la a realizar sua vocação e a encontrar moradia e trabalho, a educar os filhos e cuidar dos pais idosos, numa palavra, a cumprir a sua missão. Só no quadro de uma sociedade que seja justa para com a família – uma sociedade que “repare o tecido social desfeito” – pode-se pensar em reencontrar o sentido da família, para o bem de todos.


Do livro “Liturgia Dominical”, de Johan Konings, SJ, Editora Vozes
Postado pelo Blog do diácono João 

sábado, 28 de dezembro de 2013

Evangelho do dia

Fuga para o Egito - Mt 2,13-18

Depois que os magos se retiraram, o anjo do Senhor apareceu em sonho a José e lhe disse: “Levanta-te, toma o menino e sua mãe e foge para o Egito! Fica lá até que eu te avise, porque Herodes vai procurar o menino para matá-lo”. José levantou-se, de noite, com o menino e a mãe, e retirou-se para o Egito; e lá ficou até à morte de Herodes. Assim se cumpriu o que o Senhor tinha dito pelo profeta: “Do Egito chamei o meu filho”. Quando Herodes percebeu que os magos o tinham enganado, ficou furioso. Mandou matar todos os meninos de Belém e de todo o território vizinho, de dois anos para baixo, de acordo com o tempo indicado pelos magos. Assim se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias: “Ouviu-se um grito em Ramá, choro e grande lamento: é Raquel que chora seus filhos e não quer ser consolada, pois não existem mais”.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Arquidiocese dá início à Campanha "Um catecismo em cada lar"


Dom Jaime pede a inserção e participação de todos na Campanha
Foto: Cacilda Medeiros

Os 25 mil exemplares do Catecismo da Igreja Católica, edição comemorativa da Arquidiocese de Natal, já estão a disposição dos fiéis. O exemplar custa vinte reais e pode ser adquirido na Livraria da Paróquia da Catedral, na sala da tesouraria da Arquidiocese, situada no subsolo da Catedral, e, brevemente, em todas as paróquias.
O lançamento da Campanha 'Um Catecismo em cada lar' foi feito pelo arcebispo, Dom Jaime Vieira Rocha, dia 21 de novembro passado, por ocasião do encerramento da festa de Nossa Senhora da Apresentação e do Ano da Fé. "Com alegria e satisfação apresento a todos o Catecismo da Igreja Católica, edição especial da Arquidiocese de Natal, em parceria com as Edições CNBB. Esta edição do Catecismo quer marcar, entre nós, o encerramento do Ano da Fé, instituído pelo Papa emérito Bento XVI para comemorar o 50º aniversário da abertura do Concílio Vaticano II e o 20º da publicação do Catecismo", escreve Dom Jaime, na primeira página do Catecismo.
Os padres já podem se dirigir até à Catedral, para adquirir as caixas, com os exemplares do Catecismo, e levá-las para suas respectivas paróquias. Para isto, basta procurar Ítalo Diego, na sala da secretaria do economato (subsolo da Catedral), de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 h e das 13h30 às 17h30. Durante o mês de janeiro, o expediente será das 8 ás 14 horas.
Também, como parte da Campanha 'Um Catecismo em cada Lar', a Arquidiocese de Natal está organizando um simpósio, previsto para acontecer nos dias 4 e 5 de abril. A intenção do Arcebispo, com esta Campanha, é que o maior número possível de fiéis possa adquirir e estudar o Catecismo da Igreja Católica. "Conto com você participando e vivenciando a Campanha Um Catecismo em cada lar", diz Dom Jaime, se dirigindo aos clérigos, religiosos e leigos da Arquidiocese.

Postado por Pascom da Paróquia da Imaculada Conceição de Nova Cruz

Evangelho do dia

Em busca de vida - Jo 20,2-8

Ela saiu correndo e foi se encontrar com Simão Pedro e com o outro discípulo, aquele que Jesus mais amava. Disse-lhes: “Tiraram o Senhor do túmulo e não sabemos onde o colocaram”. Pedro e o outro discípulo saíram e foram ao túmulo. Os dois corriam juntos, e o outro discípulo correu mais depressa, chegando primeiro ao túmulo. Inclinando-se, viu as faixas de linho no chão, mas não entrou. Simão Pedro, que vinha seguindo, chegou também e entrou no túmulo. Ele observou as faixas de linho no chão, e o pano que tinha coberto a cabeça de Jesus: este pano não estava com as faixas, mas enrolado num lugar à parte. O outro discípulo, que tinha chegado primeiro ao túmulo, entrou também, viu e creu.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Santo Estevão

São Estevão, protomártir da fé Cristã, e um dos mais reverenciados de todos os mártires. Estefan é um nome obviamente grego e tem sido postulado que ele era um Helenita, significando os judeus que nasceram em uma terra distante de Palestina e que falavam grego como sua língua nativa. Contra esta teoria, temos a tradição que começou no seculo 5° que São Estevão era um nome equivalente do Aramaico "Kelil", talvez o nome original de São Estevão, o qual foi escrito na sua tumba encontrada em 415. Que São Estevão teria origem judaica ficou mais patente ainda na lista dos decanos nos "Atos dos Apóstolos"(6:5) onde lista apenas Nicolau como sendo da Antiópia, o que significaria que os demais diáconos seriam judeus. 
Virtualmente nada se conhece de sua vida antes de ser convertido. A primeira menção a ele de fato ocorre nos Atos(6:5) quando ele é escolhido para ser um dos sete diáconos dos Apóstolos e tem a missão de trabalhar com os pobres. São Estevão foca a sua atenção nos convertidos Helenistas e dá uma prova de grande pregador, com o dom de descrever o poder da graça e o poder de fazer milagres.
Seu martírio foi contado nos Atos (6-7)e ocorreu porque ele acabou tendo uma posição proeminente como pregador e trouxe a inimizade de um grupo de judeus em Jerusalém. Levado a presença de Sanhedrin ele se defendeu com paixão e eloquência (Atos 7:2-53) mas não fez nada para suavizar a ira dos seu inimigos. Foi arrastado para fora da cidade e apedrejado até a morte de acordo com a Lei Mosaic. Os seu executores colocaram suas mantas sob a guarda de Saul (futuro São Paulo) que estaria "consentindo na sua morte (8-2)".
As ultimas palavras de São Estevão foram:"Jesus, meu Senhor receba meu espirito".
Pedindo ainda perdão para seus atacantes, ele foi enterrado como um homem devoto e sua morte teria sido muito lamentada. A sua tumba foi esquecida até ser descoberta por Lucian e uma igreja foi construída em sua honra perto em Damasco, pela imperatriz Eudoxia (455-460) .
É padroeiros dos pedreiros e dos coletores de moedas (uma espécie de coletor de impostos que colecionava um décimo da produção colhida, que mais tarde passou a se chamar dízimo).
Na Europa ele é padroeiro dos cavalos
Era uma pratica muito comum entre os fazendeiros da Europa decorar os seus cavalos no dia de São Stefano e leva-los para a igreja para serem bentos pelo pároco local e após faziam uma cavalgada com três voltas em torno da igreja, um costume ainda observado em varias regiões rurais. Mais tarde no mesmo dia toda a família saia em um cavalgada festiva, em geral numa carruagem, e a festa tinha o nome de " A Cavalgada de São Stefano".
Na Suíça o sagrado diácono foi mudado na figura de um santo nativo local que seria um rapaz cuidador de um estábulo que teria sido morto pelos pagãos em Helsingland. Seu nome "S. Staffan" revela a origem do nome . Lá também tem a "Parada de S. Staffan" .
Em algumas cidades da Suécia no dia 26 de dezembro, os devotos saem as ruas a cantar hinos e cânticos em honra do "santo dos cavalos".
Noutras localidades da Europa rural, no dia São Stefano, o sal é levado para ser bento pelo padre local e é dado aos cavalos como sendo um sal milagroso e capaz de prevenir varias doenças dos cavalos.
É padroeiro dos fabricantes de caixão, diáconos, cavalos, pedreiros e da Diocese de Owensboro Kentucky,USA e invocado contra dores de cabeça.
Na arte litúrgica da igreja ele é representado com um diácono carregando pedras e com a palma do martirio.
Sua festa é celebrada no dia 26 de dezembro.

Evangelho do dia

Perseguições e sofrimento - Mt 10,17-22

“Cuidado com as pessoas, pois vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas. Por minha causa, sereis levados diante de governadores e reis, de modo que dareis testemunho diante deles e diante dos pagãos. Quando vos entregarem, não vos preocupeis em como ou o que falar. Naquele momento vos será dado o que falar, pois não sereis vós que falareis, mas o Espírito do vosso Pai falará em vós. O irmão entregará à morte o próprio irmão; o pai entregará o filho; os filhos se levantarão contra seus pais e os matarão. Sereis odiados por todos, por causa do meu nome. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo.”

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Missa do Natal

   

Foto 1: Geraldo Neto

Foto 2: MBM web Radio
Uma multidão marcou presença na missa de Natal de Serra de São Bento celebrada pelo Padre Mário, apesar das pessoas realizarem a ceia do Natal em casa, na hora da missa todo mundo sai e vai para a praça pública assistir a bela missa do Natal, a tradição se mantém viva. A missa foi transmitida ao vivo pela MBM web radio de Serra de São Bento e na quarta feira pela manhã foi reprisada.  
Um fato triste marcou o Natal na serra este ano, infelizmente faleceram três pessoas neste Natal e como todo mundo se conhece na pequena cidade, o clima ficou meio triste, pois quando devemos celebrar o nascimento, estamos presenciando a morte. Que Deus conforte o coração dos familiares e amigos dos que se foram neste Natal!
Fonte Blog O Serrano

Evangelho do dia

Nasceu Jesus! - Lc 2,1-14

Naqueles dias, saiu um decreto do imperador Augusto mandando fazer o recenseamento de toda a terra – o primeiro recenseamento, feito quando Quirino era governador da Síria. Todos iam registrar-se, cada um na sua cidade. Também José, que era da família e da descendência de Davi, subiu da cidade de Nazaré, na Galileia, à cidade de Davi, chamada Belém, na Judeia, para registrar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida. Quando estavam ali, chegou o tempo do parto. Ela deu à luz o seu filho primogênito, envolveu-o em faixas e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria. Havia naquela região pastores que passavam a noite nos campos, tomando conta do rebanho. Um anjo do Senhor lhes apareceu, e a glória do Senhor os envolveu de luz. Os pastores ficaram com muito medo. O anjo então lhes disse: “Não tenhais medo! Eu vos anuncio uma grande alegria, que será também a de todo o povo: hoje, na cidade de Davi, nasceu para vós o Salvador, que é o Cristo Senhor! E isto vos servirá de sinal: encontrareis um recém-nascido, envolto em faixas e deitado numa manjedoura”. De repente, juntou-se ao anjo uma multidão do exército celeste cantando a Deus: “Glória a Deus no mais alto dos céus, e na terra, paz aos que são do seu agrado!”

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Simpósio Vocacional de 2014 será por videoconferência

O Simpósio Vocacional em 2014 será realizado pela primeira vez por meio de videoconferência. Com o tema ‘Ide e anunciai! Vocações diversas para uma grande missão!’ o evento pretende aprofundar a questão vocacional ao celebrar os 50 anos do Dia Mundial de Oração pelas Vocações e os 30 anos do primeiro Ano Vocacional no Brasil.
O Simpósio faz parte do Plano Pastoral da CNBB e está sendo organizado pela Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB e pelo Instituto de Pastoral Vocacional (IPV). Envolve membros de equipes vocacionais, religiosos e religiosas, padres, formadores e agentes das pastorais da família, catequese, Movimento Serra e Setor Juventude. 
"Através deste evento, deseja-se reforçar a articulação e revigorar as Equipes Vocacionais Paroquiais, como queria João Paulo II, quando afirmou que “todos os membros da Igreja, sem exceção, têm a graça e a responsabilidade do cuidado das vocações”. Neste sentido, o trabalho vocacional, através da Pastoral Vocacional ou do Serviço de Animação Vocacional, é, portanto, atribuição de toda a comunidade eclesial", destaca nota de divulgação do evento. 
O evento de caráter nacional será realizado de 16 a 18 de maio, simultaneamente nas cinco regiões do país, que reúnem os 18 Regionais da CNBB, com o objetivo de obter maior participação dos agentes. 
As inscrições estão sendo feitas pelo Serviço de Animação Vocacional de cada Regional. Outras informações no Instituto de Pastoral Vocacional pelos telefones: (11) 3931-5365 e 2574-0655. 

Fonte: Instituto de Pastoral Vocacional.

FELIZ NATAL PARA TODOS LEITORES!


Olhe para o céu! Está vendo a estrela? Sim, aquela mesma que conduziu os magos do oriente até o local onde estava o menino recém-nascido. Não a vê? Não sente sua luminosidade? Ou ela está ali, cintilante, oferecendo a você a mais bela sensação do natal – a sensação de que algo novo, extraordinariamente grande acaba de acontecer com a humanidade. 

Há os que não veem e nem se sentem iluminados por estas estrelas. São iluminados por luzes artificiais, pisca-piscas coloridos, luzes de neon, que até encantam, mas duram pouco, logo elas irão desaparecer, extinguir-se, dando lugar a escuridão de sempre. Mas há os que se iluminam com a luz da verdadeira estrela de natal, a luz que vem de Deus, a luz em forma de gente, que acesa em nós, jamais irá perder o brilho. Essa luz, verdadeira, precisa ser encontrada, se há em você o desejo de ser feliz. 
Natal precisa ser a festa da luz que brilha e permanece. Festa da vida, do nascimento, da renovação dos humores e sentimentos. Natal verdadeiro é natal com menino nascendo pobre entre os animais e nos ensinando que tudo vai passar, tudo se desmanchará, vai tornar-se ferrugem, menos o amor que doamos ao outro. Por isso Natal é festa da doação do amor por meio de Jesus Cristo. O resto é perfumaria, até encanta, mas não tem durabilidade. 
A você, querido internauta, um santo e feliz natal, iluminado e iluminador. Que os fatos da história, nem sempre luminosos, recebam de nossa parte um gesto de transformação, e que iluminando o nosso derredor, possamos aos pouco iluminar o mundo. Deixe Jesus nascer de verdade, deixe-o participar de sua história, da nossa história... Só assim será natal e o mundo voltará a sonhar com a paz!

FONTE: WWW.A12.COM